Rua Pirai do Sul, 511, Bom Clima

Guarulhos/SP

8:30 as 17:00

Segunda à Sexta

(11) 2408-3091

(11) 2408-7732 (11) 2440-4051

Abono Salarial: Quanto eu tenho que ganhar para conseguir sacar?

4 out

Abono Salarial: Quanto eu tenho que ganhar para conseguir sacar?

O  Senado aprovou em primeiro turno, na última terça-feira, o texto principal da Reforma da Previdência. Entre as principais alterações dos senadores, está a regra que restringia o direito ao abono salarial para quem recebe até dois salários mínimos.

Na regra atual, quem ganha até R$ 1.996 (dois salários mínimos) tem direito a sacar o PIS/Pasep. O benefício funciona como um 14º salário pago a trabalhadores de baixa renda. 

Contudo, quando o governo apresentou a sua proposta para a Reforma da Previdência, propôs restringir o benefício para quem ganha apenas R$ 998, o correspondente a  um salário mínimo. Dessa forma, milhares de trabalhadores de baixa renda ficariam sem receber o abono salarial.

Em votação na Câmara, a Comissão da Câmara manteve restrição, mas subiu para R$ 1.364,43 O valor é maior do que o proposto pelo governo, mas menor do que o critério atual de dois salários mínimos.

Nesta última terça-feira, o Senado derrubou a mudança e manteve o abono salarial em R$ 1.996. Então, continua valendo a regra atual, que dá direito ao abono a quem recebe, em média, até dois salários mínimos (R$ 1.996 em 2019).

Quem pode receber o abono salarial

O abono do PIS/Pasep é devido a quem, no anterior ao vigente, trabalhou ao menos 30 dias com carteira assinada e recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais no período. 

Para receber o abono, também é preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) no ano-base em questão. 

Vale lembrar que é preciso ficar atento às liberações do Governo para a retirada do dinheiro. Neste ano, grande parte dos trabalhadores já podem sacar o recurso, conforme prevê a tabela de pagamento.

Tabela de pagamento

O calendário de recebimento leva em consideração o mês de nascimento, para trabalhadores da iniciativa privada, e o número final da inscrição, para servidores públicos. 

Quem nasceu nos meses de julho a dezembro ou tem número final de inscrição entre 0 e 4 receberá o benefício ainda no ano de 2019. 

Nascidos emRecebem a partir deCrédito em conta
Julho25/07/201923/07/2019
Agosto15/08/201913/08/2019
Setembro19/09/201917/09/2019
Outubro17/10/201915/10/2019
Novembro14/11/201912/11/2019
Dezembro12/12/201910/12/2019
Janeiro16/01/202014/01/2020
Fevereiro16/01/202014/01/2020
Março13/02/202011/02/2020
Abril13/02/202011/02/2020
Maio19/03/202017/03/2020
Junho19/03/202017/03/2020

Já os nascidos entre janeiro e junho e com número de inscrição entre 5 e 9 recebem no primeiro trimestre de 2020.

Final da inscriçãoRecebem a partir deCrédito em conta
025/07/201923/07/2019
115/08/201913/08/2019
219/09/201917/09/2019
317/10/201915/10/2019
414/11/201912/11/2019
516/01/202014/01/2020
6 e 713/02/202010/02/2020
8 e 919/03/202017/03/2020

O valor do abono pode chegar a 1 salário mínimo (R$ 998) e é associado ao número de meses trabalhados no exercício anterior. Portanto, quem trabalhou um mês no ano-base 2018 receberá 1/12 do salário mínimo. Quem trabalhou 2 meses receberá 2/12 e assim por diante. Só receberá o valor total quem trabalhou o ano-base 2018 completo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *