Rua Pirai do Sul, 511, Bom Clima

Guarulhos/SP

8:30 as 17:00

Segunda à Sexta

(11) 2408-3091

(11) 2408-7732 (11) 2440-4051

Quanto custa um funcionário para uma empresa?

Quanto custa um funcionário
6 jun

Quanto custa um funcionário para uma empresa?

Você já parou para pensar em quanto custa um funcionário?

Pois é, não é só com o salário que você precisa se preocupar. Um funcionário custa muito mais do que isso para uma empresa ou restaurante.

Veja quanto isso vai custar antes de montar um restaurante ou até mesmo antes de contratar uma equipe muito grande.

É preciso ter um bom planejamento financeiro para que você consiga manter seus funcionários.

Tome conhecimento sobre tudo que é exigido tanto em questões trabalhistas quanto financeiras.

Confira agora quanto custa um funcionário e acabe com as suas dúvidas! 

Quanto custa um funcionário?

Todo tipo de comércio ou empresa precisa de pessoas trabalhando.

Manter um funcionário nem sempre é uma questão muito fácil.

Além de fazer um planejamento financeiro correto, você precisar estar ciente sobre os custos reais.

É necessário que todos os encargos trabalhistas sejam pagos corretamente, sem nenhum erro.

E por esta razão você deve saber quanto custa um funcionário.

Manter uma equipe não se trata apenas de pagar o salário. Há toda um processo burocrático de leis trabalhistas que devem ser seguidos.

O real custo de um funcionário pode chegar até 3 vezes o valor do salário pago ao trabalhador.

E claro, pode variar de acordo com o sindicato de cada área, classe e regime de apuração da empresa ou restaurante.

O cálculo precisa ser feito em relação a isso e deve estimar o valor gasto pela empresa, para que assim o funcionário seja mantido conforme a soma das verbas trabalhistas.

Essas verbas normalmente são: 13º salário, adicional de férias, vale alimentação e transporte e contribuição do INSS.

Em casos de demissão, é importante reunir os impostos e encargos previstos em lei.

O verdadeiro custo de um funcionário

O custo de um funcionário não se limita apenas no salário. Existem outros gastos que empresa deve arcar.

O salário representa apenas 32% do custo de um membro da equipe para um restaurante.

Os outros 68% são equivalentes aos impostos e as atribuições aplicadas aos empregados e empregadores.

Considere todos os valores diretos — salários e benefícios— com a contração para calcular de forma correta quanto custo um funcionário.

E não esqueça dos custos indiretos — encargos sociais determinados pela legislação — , que são pagos ao governo.

Se o seu funcionário for pertencendo ao regime CLT, ele tem direitos como 13º salário, férias e fundo de garantia por tempo de serviço (FGTS) .

Mas, se for um estagiário, os direitos são diferentes, principalmente em questão de carga horária. Confira as regras.

Obrigações coletivas

Algumas obrigações coletivas, como o vale-transporte, não está incluso no salário. É um custo extra, então deve ser pago a parte.

Faça um cálculo que inclua o valor médio da passagem dos transportes necessário que o seu funcionário precisa para chegar ao trabalho.

Vamos supor que ele precise de um transporte para ir e outro para voltar do trabalho.

Cada passagem custa R$ 3,85, então temos um total de R$7,50 por dia, o que dá R$ 86,25 (durante 22 dias úteis).

O funcionário contribui com 6% do seu salário para o vale-transporte.

Então, se ele recebe R$ 1.200, R$ 72 são descontados da folha de pagamento e o restante fica para o patrão assumir.

Quanto ao vale-alimentação, o sindicato dos trabalhadores pode determinar o valor conforme a categoria.

Pegando isso como base, vamos considerar que o ticket diário seja R$18. No final do mês, terá um total de R$ 396 (18×22).

Encargos Sociais

Quando se fala em quanto custa um funcionário os encargos sociais podem ser esquecidos. O que é um grande erro.

Quando se contrata um novo membro para a equipe, o patrão deve assumir 37% do valor do salário líquido com os encargos sociais.

Deste valor (de 37%), 29% representa à contribuição patronal (INSS).

Em relação a um salário de R$ 1.000, esse valor é de R$ 290. Os 8% restantes são relativos ao fundo de garantia (FGTS) , o que resulta no valor de R$ 80.

Para um salário de R$ 1.000, por exemplo, isso corresponde a R$ 290.

Além disso, outros 8% vão para o FGTS, o que dá R$80 somados ao rendimento.

Pense também nos gastos periódicos, como o décimo terceiro salário.

Na prática, é como se o patrão fosse arcar com 8,33% por mês para chegar a 100% no final de 12 meses.

Mas saiba que o crescimento do 13º representa mais R$ 83,30.

E as férias correspondem ao mesmo valor, porém com o adicional de 1/3, ou seja, mais R$ 110,10.

Custo Total

A soma total de todos os encargos sociais e demais obrigações, de um funcionário que ganha R$ 1.000, tem um custo aproximado de R$ 2.270.

Tenha noção de que este valor pode ser até maior, já que pode haver variação em relação a quantidade de transportes que o funcionário usa e até da classe que ele pertence.

Regime tributário e custo por funcionário

Se a sua empresa ou restaurante optar pelo Lucro Real ou Lucro Presumido, os encargos sociais mensais por funcionário são divididos da seguinte forma:

  • 13º salário: 8,33%;
  • férias: 11,11%;
  • INSS: 20% a 29%;
  • SAT (seguro por acidente de trabalho): até 3%;
  • salário-educação: 2,5%;
  • INCRA/SENAI/SESI/SEBRAE: 3,3% a 5%;
  • FGTS: 8%;
  • FGTS/multa para rescisão: 4%;
  • previdenciário sobre 13º, férias, DSR (descanso semanal remunerado): 7,93%;
  • total aproximado (priorizando os menores percentuais): 70%.

E, se você for da categoria Simples Nacional, fique sabendo que está livre do encargo patronal (INSS) , salário-educação, SAT e contribuições ao INCRA e outras entidades similares. 

Veja abaixo quais são os encargos que você deve arcar:

  • 13º salário: 8,33;
  • férias: 11,11%;
  • FGTS: 8%;
  • FGTS/multa para rescisão: 4%
  • previdenciário sobre 13º, férias, DSR: 7,93%
  • total: 39,37%.

Fonte: Blog saipos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *